28 JULHO 2018 - Cidade do Vaticano - No dia 27 de julho de 2016, Papa Francisco chegava em Cracóvia para celebrar com os jovens de todo o mundo a 31ª Jornada Mundial da Juventude com o tema: “Bem-aventurados os misericordiosos, pois encontrarão misericórdia”.

 

Na cidade de São João Paulo II e de Santa Faustina Kowalska, Francisco chama as novas gerações a deixarem um sinal no mundo, ensinando os adultos “a conviverem com a diversidade”.

Já passaram dois anos da última Jornada Mundial da Juventude, em Cracóvia, que de 27 a 31 de julho de 2016 reuniu mais de um milhão de jovens de todo o mundo, convocados junto com Papa Francisco para refletir sobre o tema “Bem-aventurados os misericordiosos, pois encontrarão misericórdia”. As imagens filmadas pelo Centro Televisivo Vaticano nos ajudam a reviver os momentos mais intensos da 15ª Viagem Apostólica do Papa Francisco, em pleno Jubileu da Misericórdia.

No primeiro dia, o abraço de Cracóvia

A chegada no Aeroporto “João Paulo II”, depois o encontro com o entusiasmo dos jovens da JMJ e dos poloneses, pelas ruas do centro histórico de Cracóvia. No final do dia, o Papa saúda da janela do arcebispado os jovens reunidos na rua Franciszkańska, assim como fizeram para S. João Paulo II e para Bento XVI.

A rosa de ouro para a Nossa Senhora Negra

No dia seguinte, o Papa visita o santuário mariano de Czestochowa, que S. João Paulo II definiu “o Santuário da Nação”. Antes de celebrar a sua primeira missa na Polônia saúda os 500 mil fiéis reunidos aos pés dos muros do mosteiro de Jasna Góra, o “Monte Claro”, fortaleza da fé e do espírito nacional dos poloneses. Atravessando os muros, entra na capela da “Nossa Senhora Negra”, reverenciando o ícone da Mãe de Deus. Depois de rezar à Nossa Senhora, oferece-lhe uma Rosa de Ouro, assim como fez Paulo VI, S. João Paulo II e Bento XVI.

Papa vai à cerimônia a bordo de um bonde

Na tarde do mesmo dia, em Cracóvia, ao ir ao encontro dos jovens que vieram de todas as partes do mundo para a JMJ, e Papa Francisco chega a bordo de um bonde ecológico na companhia de 15 jovens com necessidades especiais. A leve chuva não diminuiu o entusiasmo de mais um milhão de jovens que o esperavam na esplanada de Blonia. Durante a cerimônia de boas-vindas ao Papa, desfilaram as bandeiras dos 187 países participantes. O tema do encontro era “Chamados à santidade”.

Santa Faustina, a apóstola da Divina Misericórdia

O sábado foi dedicado à misericórdia, e Francisco iniciou visitando o coração da devoção polonesa, o Santuário da Divina Misericórdia em Lagiewniki. No convento onde viveu e faleceu Santa Faustina, a frágil mística apóstola da Divina Misericórdia, o Pontífice entra na capela e reza diante do túmulo da santa, onde se encontra a primeira imagem de Jesus Misericordioso, realizada sob indicação da Santa a pedido de Jesus, que lhe apareceu pela primeira vez em 22 de fevereiro de 1931, pedindo-lhe que escrevesse “Jesus confio em ti”.

O beijo na relíquia do sangue de São João Paulo II

Depois de rezar na capela, Papa Francisco saúda da sacada do Santuário os jovens presentes, em seguida atravessa a Porta da Divina Misericórdia entrando no Santuário. Depois de confessar oito jovens o Papa visita o novo Santuário de São João Paulo II, finalizado em 2015 onde celebra uma missa com os sacerdotes e religiosos poloneses. No final, o Papa Francisco incensa e beija a relíquia do sangue de S. João Paulo II, conservada no centro de um altar do Santuário.

Almoço com treze jovens voluntários

Mais tarde no arcebispado Papa Francisco almoça com 13 jovens voluntários da JMJ, um jovem e uma jovem de cada continente, dois poloneses e a porta-voz da JMJ, o cardeal Dziwisz, arcebispo de Cracóvia e um intérprete.

A Porta Santa do Campus Misericordiae

Quando chega no Campus Misericordiae, na periferia de Cracóvia, para a vigília de oração, Papa Francisco é acolhido por mais de um milhão de jovens. Na luz do entardecer o Papa atravessa a Porta Santa de mãos dadas com 6 jovens. No palco uma grande imagem de Jesus misericordioso, com o tema “Jesus, fonte de misericórdia”, com testemunhos e perguntas de três jovens.

O Evangelho como “navegador” nas estradas da vida

Na manhã seguinte mais de um milhão e meio de jovens de todo o mundo e de fiéis poloneses participam da missa de encerramento da JMJ na grande esplanada de Wieliczka. O Papa convida a todos a irem pelo mundo afora como discípulos e testemunhas da misericórdia de Deus, fortalecidos pela experiência de Cracóvia e com o Evangelho de Jesus como “navegador” nas estradas da vida.

Próximo encontro no Panamá em 2019

Depois da comunhão, o Pontífice entrega a alguns jovens uma lâmpada, sinal da luz de Cristo. “A JMJ começa hoje e continua amanhã, em casa”, repete Francisco, em seguida anuncia que a próxima etapa da peregrinação dos jovens do mundo, iniciada em 1985 por S. João Paulo II será no Panamá, em 2019.

Vatican News